Personal CO2 to you Personal CO2 to business
Versão em Português English Version Versión en Español
13
JAN
2011

Aquecimento global e o mercado de carbono

Brasil é um dos países com maiores reduções anuais de emissões, com diminuição de aproximadamente 50 milhões de toneladas de carbono por ano

Poucos sabem, mas a Cúpula da Terra (Rio-92 ou Eco-92) foi uma das mais importantes etapas globais nas discussões das questões ligadas ao meio ambiente e em especial os efeitos das ações do homem na natureza, que deram origem ao Protocolo de Kyoto.

As ferramentas de flexibilização e os mecanismos de desenvolvimento limpo criados pela ONU vêm discutindo desde 1988, mas somente em 1997, na COP 3, de Kyoto (Japão) criou-se a possibilidade de fomentar o desenvolvimento sustentável aliado à redução da emissão dos gases do efeito estufa (GEE) em todo o mundo, a fim de reduzir a aceleração do aquecimento global.

O Protocolo de Kyoto é um tratado internacional, de compromissos rígidos na redução da emissão de GEE, no qual os países-membros devem obrigatoriamente reduzir suas emissões. O mercado global de carbono global dificilmente deixará de existir a curto/médio prazo, pois o mesmo está sustentado financeiramente pelas negociações do comércio de emissões entre os países signatários do Anexo I da Convenção Quadro das Nações Unidas para Mudanças Climáticas (UNFCCC). Ou seja, essencialmente Europa, Canadá, Austrália e Japão.

De acordo com o último relatório da ONU, dentre os 6,5 mil projetos no cenário global, o Brasil está na 3ª colocação, com 7%, atrás de Índia com 27% e China com 38%. Estes dados fazem o Brasil ser um dos países com maiores reduções anuais de emissões, com uma diminuição de aproximadamente 50 milhões de toneladas de carbono por ano (dados da ONU).

Apesar de este tema parecer estar longe das nossas ações cotidianas, todos podemos contribuir com a redução dos efeitos do aquecimento global, por meio de ações simples no nosso dia a dia, como: quando possível, opte pela bicicleta, caminhada ou transporte coletivo ao invés de se deslocar de automóvel em trajetos rotineiros e cotidianos.

Quando não houver outra forma a não ser utilizar o automóvel, pense na possibilidade de optar pela carona solidária ou rodízio com colegas do trabalho, faculdade etc. Tente manter em dia a manutenção de seu automóvel a fim de reduzir o consumo de combustíveis. Se possível, opte por combustíveis renováveis (etanol e biodiesel) em vez dos combustíveis fósseis.